quarta-feira, 11 de julho de 2007

Reflexões sobre a velhice.


Minha cabeça está cheia de coisas. Sempre cheia de coisas. Minha mãe está no hospital. Ela e mais quatro outras senhoras, outras quatro mulheres velhas num hospital cheio de outras pessoas velhas e doentes. É difícil circular pelo hospital sem pensar no meu futuro. Meu futuro sempre me dá o maior medo. Não gostaria de me ver no lugar de minha mãe. Olho pra ela e sinto pena. Ela me parece tão criança... tão desamparada. Hoje ela disse: "É..." e parou. Não formulou o resto do pensamento. Perguntei-lhe o que era e me disse: "Tantas coisas..." e não me disse mais nada. Fiquei pensando que coisas ela teria na cabeça? E olhei pras outras velhas. E pensei qual o sentido da velhice? Pra quê? Talvez em algum momento passado os velhos tivessem algo a ver com sabedoria e pudessem dar conselhos sobre as coisas da vida. Então a velhice teria algum significado. Hoje, a gente tem que procurar muito antes de encontrar algum velho que tenha em si algum resquício de alguma sabedoria ou conhecimento sobre a vida que ele possa e/ou se disponha a passar aos mais jovens. O que mais se vê na velhice é a mágoa. Uma amargura que turva os olhos e os sentidos e faz com que o velho seja apenas um chato esperando a morte. E quando eu ficar velho? Como será o mundo quando eu ficar velho? Quando eu serei velho? Com sessenta anos? Com setenta? Que outras vantagens, além de não pagar passagens de ônibus, eu terei quando ficar velho? Ficarei mais perto da morte. ficarei mais perto da decadência, das doenças, da decrepitude. Pena, mas não consigo enxergar ganhos na velhice. Agora, apenas observo tudo isso com temor. Parece-me tão sem sentido. Tão cruel com o ser humano. Saber que vai morrer sem saber quando é o guiness de crueldade. Envelhecer é, com certeza, o segundo lugar. A pele enrugada, os músculos flácidos, as dores no corpo, as falhas da memória, a proximidade da morte, a dificuldade de respirar, locomover-se, viver, em suma. Pra quê?

2 comentários:

Rodrigo Shalako disse...

É Roberto, também sinto esse temor da velhice, mesmo sendo jovem esse é um assunto que eu sempre penso e de uma certa forma me preocupa e às vezes me desilude. Pergunto-me pra que aprender tanta coisa, estudar tanto? Vejo pessoas que passam anos em faculdade, fazendo coisas que não gosta, ou trabalhando anos em uma empresa, e odiando o que faz... Mas fazem, porque tem que fazer! Porque foi embutido nas suas cabeças que isso é o certo. E acabam deixando de viver. Por que eu acho que, sei lá, 80% das pessoas não vivem, e sim cumprem seu espaço de tempo na terra. Pra que, nascer, estudar, trabalhar, envelhecer e morrer? Pra depois ser lembrado como um grande doutor, professor, homem do povo.. Poucos são aqueles que conseguem ser lembrado... Mas pior que a morte acho que é a velhice. Ela consegue ser mais cruel que a própria morte. A velhice nos faz lembrar, de como éramos bonitos e tínhamos fôlego e resistência para correr, dançar, virar noites em festa, namorar, dar duas, três, quatro, numa noite! E agora não podemos mais.. Isso quando a velhice não nos priva desse direito a lembranças, com doenças como ausaimer ou outras tantas... Ou será que ficamos velhos porque, é muito triste quando se morre jovem. Derrepente a velhice é uma forma de irmos nos desapegando as coisas e as coisas a nós, para que ambos sofram menos. Será? Imagina morrer jovem, com carro zero na garagem, milhares de amigos, gatinhas, grana, festas toda hora... Horrível né? O velho não! Tem meia dúzia de parentes na volta, às vezes de olho na casa e no terreno, na merreca de aposentadoria quando tem.. E o resto só lembrança, quando tem também... Na verdade essas perguntas que fazemos não tem resposta. Porque a ciência já provou que todo ser vivo nasce, cresce, se reproduz e morre... Energia, espírito, céu, inferno, deus, próxima encarnação.. Isso ninguém provou ainda. Enfim... O que nos cabe? Aceitar? Reclamar? Eu não sei.. Às vezes, quero jogar tudo pro alto. Pra que tudo isso?? Ai lembro que sou jovem, e que tenho muita vida pela frente. E daí? E o dia que eu não tiver? Esse dia pode ser hoje!! Quando somos velhos, não temos muitas coisas pra aprender? Pessoas pra conhecer? Lugares pra ir? Tem né! Mas a diferença é que os velhos deixam de ser interessante para a maioria, deixam de ser úteis. Na verdade quem nos envelhecem são os outros. Pensando bem, certo são aqueles. Que nascem, crescem se reproduzem e morrem quietos. Sem se preocupar com os porquês, e sem questionar sua existência. Assim sofrem menos.

Obs: Desculpa Bob, pelas frases sem nexo, erros e equívocos. Isso que eu, escrevi não tem muito sentido. Assim como a vida.

Rodrigo Shalako

Camilo disse...

hai-kai

para conjugar
envelhecer com seguir,
como se faz, diz!

camilo